Paróquia Nossa Senhora da Candelária

Indaiatuba SP.

Resumo histórico

A história da Igreja Nossa Senhora da Candelária se mistura em fatos e datas à de cidade de Indaiatuba, isto nos leva a entender que a origem da cidade está intimamente ligada a lendas e fatos que deram origem a construção de uma capela dedicada a Nossa Senhora.

A lenda se situa nos fins do século XVIII, diz a mesma que um morador chamado José da Costa procurava por uma vaca perdida e acabou encontrando uma imagem de Nossa Senhora em um riacho e a partir desse acontecimento, teria decidido erguer ali uma capela dedicada à Santa. 

O histórico documentado e comprovado por registros indicam que em 1813 o tenente Pedro Gonçalves Meira solicitou a instalação de uma capela chamada Nossa Senhora da Conceição dos Cocaes, para cujo sustento ele doava algumas de suas propriedades. Após a morte de Meira, seu irmão e herdeiro, Joaquim Gonçalves Bicudo, passou a dedicar a capela a Nossa Senhora da Candelária.

A Matriz da Candelária é uma das poucas igrejas sobreviventes no interior do Estado de São Paulo construídas em taipa-pilão. Este era o sistema construtivo dominante no planalto paulista até fins do século XIX e consistia em socar camadas de terra úmida entre formas de madeira (os taipas).

A Matriz tem dimensões modestas , sua fachada principal mede 17,72 metros e a fachada lateral mede 45,20 metros. A nave principal tem 9,84 metros de largura e 23,30 metros de comprimento. A Capela do Santíssimo possui 6,53 metros de largura e 13,20 metros de comprimento.

As paredes longitudinais são duplas, sendo as paredes internas, que formam a nave principal, separadas das paredes externas por galerias de 1,87 metros de largura. As duas paredes tem espessuras de 1,05 metros. Essa galeria é interrompida a intervalos por paredes transversais de taipa-pilão, cortadas apenas pelas portas das galerias do andar superior.

Fatos relevantes da paróquia
  • Construção da Matriz: pouco se sabe com precisão sobre o inicio da construção, mas é certeza que em 1839, a Matriz já possuía as paredes de taipa.

  • O primeiro Pároco foi o Padre Pedro Dias Paes Leme.

  • Início da construção da Casa Paroquial: durante o mandato como Pároco do Padre Francisco Eduardo Paes Moreira, entre 1911 e julho de 1920.

  • O término da construção se deu no mandato do Padre Lázaro Sampaio.

  • A Escola Técnica de Comércio Nossa Senhora da Candelária – atual Colégio da Candelária – foi fundada durante o mandato como Pároco do Padre Carlos Afonso Menegazzi que foi Pároco entre 21/10/56 e 06/01/60.

  • O Salão Comunitário da Candelária, foi construído durante o primeiro mandato como Pároco do padre Álvaro Augusto Ambiel, entre 12/04/70 e 10/09/78.

  • O Salão de Festa foi reformado em 17/10/2012 na atual gestão do Padre Marcelo Donizetti Previatelli.

  • A construção do Espaço Pastoral São João Paulo II ocorreu em 19/09/2006           também na gestão do Padre Marcelo.

Estas galerias, por sua vez, apresentam portas-janelas com grades de ferro em balcões e são unidas pelo coro que apresenta grades de ferro antigas e é sustentado por duas colunas de Cabreúva maciça que delimitam o paravento. As tábuas do assoalho da galeria superior são bastante largas e antigas.

Todas as portas originais, internas e externas, possuem a verga em arco batido. A enorme porta principal e uma porta em cada lateral são providas de gonzos ( articulações em que um pino solidário à folha da porta penetra em copos vazados presos às ombreiras.

O telhado prolongava-se em beiral largo até as primeiras décadas do século XX, quando foi cortado , sendo as paredes externas prolongadas em platibandas.

Nada se sabe com precisão sobre o inicio da sua construção, mas é com certeza que em 1839 já apresentava as paredes de taipa-pilão.

Diversas alterações importantes aconteceram na Matriz em seus quase 200 anos de existência. Nada restou dos seus três retábulos artísticos, altares antigos, arco-cruzeiro, assoalho de tábuas nem do seu forro pintado.

Pelo muito que conservou das suas características originais, a Matriz da Candelária de Indaiatuba, é tombada pelo Patrimônio Histórico de Indaiatuba e representa importante patrimônio da Arquidiocese de Campinas e do povo de Indaiatuba.

Fonte: Revista A Tribuna – Órgão Oficial da Arquidiocese de Campinas - Celso Lago Paiva)

Imagens: Arquivo Público Municipal Fundação Pró-Memória de Indaiatuba

Esboço do projeto
Esboço do projeto
press to zoom
Construção original
Construção original
press to zoom
Fachada atual
Fachada atual
press to zoom
Interior da matriz
Interior da matriz
press to zoom
Pároco atual
Padre Paulo Crozera
Padre Paulo 2020 (1).jpg
Párocos anteriores
  1. Padre Pedro Dias Paes Leme: 1831 à 09/02/1841

  2. Padre Antonio Cassemiro da Costa Roriz: 05/09/1841 à 1884

  3. Substituto: Padre Bento Dias Pacheco: 1884

  4. Padre Luiz Del Giudico: 21/12/1884 à 1890

  5. Padre Elizário Martins Pedroso: 13/08/1890

  6. Padre Alexandre Pucciano: 12/1890 à 02/1892

  7. Padre João Ezequiel Teixeira Pinto: 1892

  8. Padre Frediano Dini: 1893

  9. Padre Bonifácio Alexandre: 23/10/1893 à 1895

  10. Padre João Batista Monteiro: 12/06/1905 à 1897

  11. Padre Gerônimo Migliano: 07/12/1897 à 1901

  12. Padre Fernando Tognosi (primeiro mandato): 01/1902 à 1903

  13. Padre Canuto de Araujo Amarante: 02/12/03 à 1906

  14. Padre Fernando Tognosi (segundo mandato): 01/1906 à 07/1906

  15. Padre Nicolau Amstalden: 07/1906 a 08/1906

  16. Padre Miguel Guilherme: 24/08/06 à 1909

  17. Padre Teófilo Antonio de Souza: 05/1911 à 07/1911

  18. Padre Agostinho Martel: 07/1910 à 1911

  19. Cônego Oscar Sampaio: 02/1911 à 07/1911

  20. Padre Francisco Eduardo Paes Moreira: 1911 à 07/1920

  21. Padre Alberto Motz: 07/1920 à 1923

  22. Padre Lázaro Sampaio: 10/05/23 à 1925

  23. Padre Félix das Dores Ortega: 25/09/25 à 1930

  24. Padre Luiz Soriano: 1931 à 1936P

  25. Padre Vicente Rizzo: 07/02/37 à 05/45

  26. Padre Antonio Janoni: 04/45 à 10/56

  27. Padre Carlos Menegazzi: 10/56 à 06/01/60

  28. Padre Claret R. Toledo Pizza: 11/60 à 10/66

  29. Padre Francisco de Paula Vasconcellos: 10/10/66 à 02/67

  30. Padre Hermínio Bermascomi: 02/67 à 10/02/70

  31. Padre Álvaro Augusto Ambiel ( primeiro mandato ): 12/04/70 à 10/09/78

  32. Padre Antonio Pontes de Moraes: 10/09/78 à 30/11/79

  33. Padre Álvaro Augusto Ambiel ( segundo mandato ): 01/12/79 à 15/02/81

  34. Padre Luiz Antonio Guedes: 15/02/81 à 23/09/84

  35. Padre Geraldo Jacobucci ( Vigário Auxilar ): 13/01/86 à 31/10/88

  36. Padre João Aparecido Passadore ( Vigário Auxiliar ): 31/12/88 à 04/03/89

  37. Padre Rogério Andrade Santeri (Vigário Paroquial): 12/97 à 02/99

  38. Padre João Augusto Piazza: 23/09/84 à 30/10/99

  39. Diácono João Paulo da Silva: 02/2000 à 06/2000

  40. Padre Jeronymo Antonio Furlan: 31/10/99 - 09/02/2004

41.Padre Marcelo Donizetti Previatelli: 14/02/2005 à 31/11/2019

42. Padre Paulo Crozera (titular): 12/01/2020